Controle governamental: algumas considerações sobre avanços tecnológicos e os modelos de accountability no Brasil e Argentina

Este painel traz três exemplos do uso de big data como sendo um instrumento de melhoria da accountability governamental, visto que a aplicação de algoritimos para a análise de bases de dados garantem uma extração não trivial de conhecimento por permitir a identificação de padrões, tendências e correlações não visíveis a olho nu elevando o patamar do controle na gestão pública a níveis até então não imaginados. Os artigos brasileiros, trazem as ações desenvolvidas pela Controladoria Geral da União, nos últimos 10 anos, servindo-se da Teoria dos Custos de Transação como uma forma de apontar caminhos para o processo de avaliação conduzido por órgãos desse natureza serem realmente uma ferramenta de melhoria contínua das políticas públicas, reduzindo o ônus da rede de accountability sobre a rede de implementação; e também o que os Tribunais de Contas têm realizado para cruzar informações com o objetivo de subsidiar um planejamento adequado para atingimento das metas previstas na Agenda 2030. O artigo argentino, mostra como vêm se dando o processo de construção de pontes entre a prestação de contas e a cidadania, a partir da avaliação de políticas públicas em que os governos desenham e implementam programas e atividades cujos resultados e impactos das mesmas são medidos por meio de incorporação de tecnología da informação.

Gecilda Esteves Silva (Coordinadora)

Assessor Adjunto. Núcleo de Estudos Socioeconômicos. Secretaria-Geral de Planejamento. Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE/RJ). Brasil
"Tribunais de contas e tecnologia da informação: o uso de big data como instrumento de monitoramento de ações da Agenda 2030 no Brasil" (Coautoría: Robson Alves de Figueiredo)

Cristian Ariel Módolo

Gerente. Auditoría General de la Nación. Argentina
"Hacia una rendición de cuentas transparente, participativa y al alcance de los ciudadanos: un abordaje sistémico desde la experiencia argentina"

Marcus Vinicius de Azevedo Braga

Assessor Especial. Controladoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (CGE-RJ). Brasil
"A relação da accountability promovida pela Controladoria-Geral da União e a implementação da política educacional descentralizada para os municípios, a luz da teoria dos custos de transação"