A profissionalização dos quadros gerenciais como estratégia de construção de capacidades estatais: o recente caso brasileiro

Em diversos estudos recentes na área de políticas públicas, usa-se o conceito de capacidades estatais para designar variáveis que se relacionam positivamente à produção e oferta de políticas públicas efetivas. De fato, um dos pressupostos para que políticas públicas possam produzir resultados para a sociedade é contar com burocracias capazes para desempenhar uma série de funções que melhorem o processo de implementação. A verificação de capacidades da burocracia, portanto, é o elemento chave para prever que resultados serão obtidos das políticas públicas em um determinado país: isso envolve compreender o conjunto de funções desempenhadas por servidores de carreira e ocupantes de cargos de direção, assim como as estruturas organizacionais e a motivação desses servidores para o desempenho das funções. O painel vai abordar a recente experiência brasileira, à luz das iniciativas de definição de critérios para ocupação de funções gerenciais na administração pública federal.

Regina Luna Santos de Souza ()

Coordenadora. Coordenação-Geral de Pós-Graduação Stricto Sensu. Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Brasil
"Profissionalização da gestão e desenvolvimento de competências gerenciais para a alta administração pública: a experiência recente no Brasil"

Marcos Santos Kroll

Diretor. Departamento de Modelos Organizacionais. Secretaria de Gestão (SEGES). Brasil
"Profissionalização da gestão e desenvolvimento de competências gerenciais para a alta administração pública: a eficiência como mandamento para o mérito" (Coautoría: Regina Luna Santos de Souza, Antonio Augusto Ignacio do Amaral)